Análises

The Last of Us Part II Remastered

9
A vingança nunca pareceu tão boa

The Last of Us Part II Remastered faz muito mais do que simplesmente justificar sua existência no PS5. Os novos visuais e animações são absolutamente impressionantes e o conteúdo adicionado é significativo. Com os novos modos de jogo e conteúdo de bastidores, há muito aqui para os jogadores que retornam se divertirem e para os novatos saborearem. Independentemente da sua experiência anterior com The Last of Us Part II, esta remasterização merece o seu tempo.

Em 2020, The Last of Us Part II foi lançado no PS4 e aclamado pela crítica. Evocou uma ampla gama de emoções em críticos e fãs. Agora, uma remasterização já está aqui para fisgar alguns dos mesmos sentimentos, e The Last of Us Part II Remastered no PS5 consegue justificar sua existência menos de quatro anos após o lançamento no PS4.

Muito parecido com a remasterização de The Last of Us Part I, este não faz alterações no enredo geral e no enredo. No entanto, isso não prejudica nada. O enredo de The Last of Us Part II Remastered é uma história cheia de nuances e camadas sobre a humanidade e também sobre ódio e perdão. É uma jogada ousada, mas acho que será lembrada como uma das melhores peças de ficção de todos os tempos.

Os visuais atualizados em The Last of Us Part II Remastered no PS5 são de cair o queixo. As cenas parecem ainda mais bonitas do que no lançamento original e a iluminação cria uma experiência mais cinematográfica do que nunca. Os detalhes nos modelos de personagens atraem especialmente o jogador. No entanto, não é apenas porque parece melhor, pois há novas animações para os rostos dos personagens e isso faz com que os movimentos faciais reflitam ainda melhor o desempenho dos atores de captura de movimento. Os pequenos detalhes transmitem a emoção dos personagens com muito mais clareza do que no PS4.

Fora das cenas, os visuais atualizados também trazem mais imersão à construção do mundo. Os pequenos detalhes do mundo, como caixas de CD e pequenas notas em outdoors, ficam mais claros aqui. Além disso, coisas como poças de água ondulando e pequenas pedras chutando sob os pés oferecem profundidade adicional enquanto alguém atravessa o mundo. Foi difícil não parar e admirar tudo e qualquer coisa que encontrasse.

A outra grande revisão em The Last of Us Part II Remastered é a integração PS5 DualSense. O combate parece completamente novo, mantendo seus detalhes e nuances gerais. Sinto que os efeitos DualSense são melhores quando são sutis e você deve sentir a ausência deles ao jogar sem eles, mas não se distrair com eles. The Last of Us Part II Remastered pode fazer isso melhor do que qualquer jogo PS5 até agora. Mirar o arco e disparar armas agora tem um peso, graças aos gatilhos adaptativos. Além disso, as pequenas vibrações ao caminhar são boas e aumentam ainda mais a imersão.

Mesmo que isso fosse tudo o que o pacote tinha a oferecer, eu o consideraria uma remasterização de sucesso. É a versão definitiva de um dos melhores jogos dos últimos anos. No entanto, a Naughty Dog adicionou uma série de outras novidades apenas para consolidar ainda mais The Last of Us Part II Remastered como o pacote total.

Um novo modo pequeno e divertido é o Guitar Free Play. Isso permite que você mexa na interface da guitarra sem limite de tempo ou objetivo. Existem vários estilos, como banjo, violão de rock ou violão de cordas de náilon. Você pode até brincar com efeitos e paisagens sonoras. É um modo divertido para passar algum tempo e apenas uma boa ideia para incluir.

Há também conteúdo como novas skins para Abby e Ellie, um modo speedrun que ajuda você a controlar os tempos de suas jogadas e novas opções de modo de foto. Um destaque para mim é a adição de níveis perdidos para jogar. Estão inacabados, é claro, mas são uma visão divertida de “como o jogo foi feito”, por assim dizer. Combine-os com o conteúdo dos bastidores e os comentários do diretor para as cenas, e isso oferece novos insights sobre a experiência.

Mas talvez a maior adição a The Last of Us Part II Remastered seja o novo modo No Return. É uma experiência roguelike durante a qual você enfrenta encontros aleatórios com inimigos por meio de “runs” de morte permanente. O modo No Return acabou sendo a maior surpresa desta coleção. Eu experimentei um pouco e dá pra dizer que apenas encostei, mas acabei gostando muito de enfrentar os desafios. O combate em The Last of Us Part II Remastered é muito satisfatório e No Return é muito fácil de entrar em um ciclo de “só mais uma run”.

Uma das maiores reclamações que tive sobre The Last of Us Part I quando a remasterização foi lançada foi o preço. Foi lançado pelo preço total, sem qualquer conteúdo adicional significativo. Embora essa versão seja a definitiva, foi difícil justificar esse preço. Felizmente, a Naughty Dog ouviu e não cometeu esse erro novamente. The Last of Us Part II Remastered não apenas fornece conteúdo adicional, mas também oferece um preço mais razoável e um caminho de atualização para proprietários da versão PS4.

VEREDITO

The Last of Us Part II Remastered faz muito mais do que simplesmente justificar sua existência no PS5. Os novos visuais e animações são absolutamente impressionantes e o conteúdo adicionado é significativo. Com os novos modos de jogo e conteúdo de bastidores, há muito aqui para os jogadores veteranos se divertirem e para os novatos saborearem. Independentemente da sua experiência anterior com The Last of Us Part II, esta remasterização merece o seu tempo.

David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)