Análises

Prince of Persia: The Lost Crown

9
Uma arma forjada para servir a Pérsia

Prince of Persia: The Lost Crown é um farol de esperança para uma franquia que já se foi há muito tempo. Os fãs da série ficarão felizes com a nova direção dessa série.

Prince of Persia é uma série que eu estava convencido de que estava morta até o anúncio de The Lost Crown, da Ubisoft Montpellier. Será que esse jogo trará de volta a série Prince of Persia ou será mais um prego no caixão?

Prince of Persia: The Lost Crown acompanha a história de Sargon, um dos sete imortais que são os lutadores mais fortes do reino. Sargon e seus aliados detêm as forças invasoras de Kushan para proteger a Pérsia e seu governante. Por sua participação na derrota do general inimigo, Sargon é premiado com uma faixa real, que é concedida apenas aos melhores dos melhores guerreiros. Após a cerimônia, você se reúne com seus amigos e comemora até a noite e em algum momento, há um tumulto e o príncipe é sequestrado, deixando você e os Imortais para tentar resgatá-lo.

Sargon é um personagem bem interessante.

Antes de ter a chance de salvar o príncipe, ele é assassinado, e você é culpado por sua morte. Você logo percebe que há algum tipo de problema de distorção do tempo nesse lugar ao enfrentar outra versão de si mesmo. Depois de derrotá-lo, você é informado de que ainda pode salvar o príncipe se aprender a dominar o tempo e para isso, você terá de coletar todas as relíquias e poderes que estão espalhados pelo mundo do jogo.

Um bom reflexo é essencial para avançar nessa aventura.

Prince of Persia: The Lost Crown é um metroidvania 2D, o que significa muito retrocesso, muita morte e muitos segmentos de plataforma. No início, isso não é um problema, pois são simples saltos e dashes, mas rapidamente se torna complicado. Um dos obstáculos de plataforma mais irritantes são essas plataformas que mudam dependendo da direção para a qual você está olhando. Por exemplo, uma plataforma pode estar livre para você pular se você olhar para a direita, mas ela volta para a parede quando você olha para a esquerda. Isso força você a lutar contra o instinto de se corrigir no ar e, em vez disso, confiar na fé de que não cairá. Isso me deixou confuso algumas vezes, mas os jogadores que procuram desafios de plataforma os encontrarão aqui.

Parece coisa de jogo japonês, não?

O combate em Prince of Persia: The Lost Crown é rápido e simples, trazendo consigo um sólido sistema de contra-ataque e esquiva. Assim como na seção de plataformas, você terá de lutar de forma inteligente para sobreviver. Contra os adversários comuns você pode spammar seus ataques combinados e avançar, mas os chefes e mini-chefes vão acabar com você se tentar essa estratégia. Observar o que o inimigo diz e reagir corretamente torna o jogo muito mais “gerenciável”. Desviar dos inimigos e desferir um grande ataque para depois se esquivar e desferir outro golpe nas costas deles é muito satisfatório. Você também recebe um arco e um chakram como armas de longo alcance, o que ajuda a aumentar a variedade e isso também significa que eles podem adicionar inimigos voadores, que são sempre irritantes como na maioria dos jogos.

Todas essas lutas e plataformas são muito legais, mas você precisa de upgrades para evitar morrer com frequência e perder MUITO progresso. Há apenas uma moeda no jogo e ela é usada para aprimoramentos de armas e habilidades, novos amuletos, dicas e melhorias gerais. Os aprimoramentos de armas fazem com que você bata com mais força, mas também é possível obter mais flechas ou espaços extras para amuletos. Esses aprimoramentos têm um preço alto, o que torna a economia muito equilibrada. Os amuletos são aumentos de estatísticas e outros bônus, como a revelação de tesouros ocultos ou a adição de HP temporário extra. As dicas também são boas porque você não tem instruções, apenas marcadores de onde ir.

Direção de arte caprichadíssima.

Por falar em segredos, o jogo está repleto deles. Paredes que podem ser quebradas, baús invisíveis, áreas ocultas – você encontrará todos eles. Se você fez a pré-order, receberás um pássaro que o ajudará a encontrar os segredos; caso contrário, terá de bater em todas as paredes para testá-las. Essas áreas são necessárias para que você encontre os materiais de crafting necessários para aprimorar seu equipamento para níveis mais altos. Itens de conhecimento e missões secundárias também podem ser encontrados escondidos no mundo do jogo. Em geral, são missões básicas de pegar itens ou de esmagar objetos que ajudam a dar a você mais motivos para explorar. Observe que algumas das áreas ocultas e missões secundárias têm algumas das seções de plataforma mais desafiadoras do jogo, fique esperto.

Há algumas coisas de que não gostei no jogo. O sistema de viagem rápida é muito inconveniente. Você precisa encontrar uma estátua e, em seguida, ir de lá para outra estátua. O problema é que não há muitas no jogo e você não pode se deslocar até elas pelo mapa. Isso significa que você está fazendo um grande número de retrocessos desnecessários. Também acho que os pontos de checkpoint poderiam ter sido mais generosos. Você perde muito tempo morrendo em espinhos que te matam em um golpe e em buracos.

Hora de botar o “ddog” pra dormir.

Um último conjunto de pontos que vale a pena chamar atenção é a trilha sonora e a direção de arte. Em relação ao primeiro, The Lost Crown conta com contribuições musicais de Gareth Coker, que traz uma coesão atmosférica adequada à experiência. É verdade que não me vejo ouvindo nenhuma dessas músicas fora do jogo, mas elas fazem seu trabalho de proporcionar uma sensação de mistério e quietude ao labirinto que é o Monte Qaf. Quanto à direção de arte, sou mais crítico. Os retratos dos personagens e as animações de cutscene são magistrais, mas, pessoalmente, faltavam melhorar mais os ambientes. Para elaborar, há uma variedade visual que se torna evidente à medida que você avança, mas as cores carecem de uma intensidade que faz com que as áreas se destaquem tanto quanto deveriam. Isso não me tirou da experiência nem nada; parecia apenas que algo estava faltando a esse respeito.

VEREDITO

Prince of Persia: The Lost Crown é um farol de esperança para uma franquia que já se foi há muito tempo. Os fãs da série ficarão felizes com a nova direção dessa série.

David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)